PMFS Natal 2
Em cima da hora:
Projeto contra corrupção do MPF já coletou mais 31 mil assinaturas na PB
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Topera, vocalista da Banda 5% revela tudo no Intimidades

    A Banda 5% nasceu da vontade de fazer boa música e de tocarem juntos, esses amigos de longa data, se uniram com esse objetivo em comum, fazer o que mais amam e levar muita alegria para o público. A experiência dos integrantes vem da rotina de tocar em bares, o que proporcionou muita bagagem e ecletismo musical – forte característica da banda. E na coluna intimidades desta quinzena, Topera – o vocalista - é nosso entrevistado. Ele adotou seu apelido de infância para fazer sucesso na Banda 5%.
    31.05.2014 21h42m
    Recomendar
    Topera, vocalista da Banda 5% revela tudo no Intimidades
    Intimidades com Topera, cantor da Banda 5%

    Quando você descobriu que seria músico?
    A música que escolhe a gente, eu venho de uma família musical com meus pais, ouvindo e amadurecendo a idéia.
     
    Quem é seu ídolo na música?
    Meu pai, músico violonista Josmar Assis
     
    Qual a sua relilgião? Você segue?
    Sou católico, mas não freqüento muito.
     
    Como foi a sua infância?
    No Cabula depois mudei pra Villas, mas foi totalmente diferente das infâncias atuais. Sou o caçula de três irmãos.
     
    Se você não fosse músico, que profissão escolheria?
    Seria jogador de futebol.
     
    Você tem algum defeito que gostaria de mudar?
    Sou cabeça dura muitas vezes, me arrependo, peço desculpas quando vejo que estou errado. A banda me ajuda, quando estou errado eles falam, somos muito unidos.
     
    Quando foi a sua primeira vez? Que subiu no palco?(risos com a apresentadora)
    Aos sete anos
     
    E a sua primeira vez?
    [envergonhado ele resiste um pouco e depois de alguns comentários da apresentadora, diz] “vou largar mesmo”
    Foi aos meus 18, 19 anos, num banheiro químico
     
    Qual presente de fã que te deixou mais surpreendido?
    Fotos antigas nossas, nossos CDs antigos as faixas...
     
    Se o mundo acabasse agora,  quem gostaria que estivesse com você?
    Meus pais.
     
    Quais artistas você escuta para compor suas músicas?
    Lupicínio Rodrigues, não para compor axé, mas para músicas românticas. Ouço Moraes Moreira, RoupaNova, Fábio Junior e pra compor música de axé, ouço Saulo.
     
    Como você encara a renovação da música baiana?
    Tudo é fruto de muito trabalho, quem chegou onde está batalhou muito. A renovação vem naturalmente em todos os aspectos, temos Mary do Babado; Chicafé; Eva; Levy, todos com trabalho bacana, eu creio muito na renovação da música baiana.
     
     
    Edição: Flora Farias - Arte Ideia Comunicação.
     



  • Intimidades com o cantor Battata

    O entrevistado desta quinzena o quadro intimidades com Lusitania Mel é o cantor Battata, que é natural de Salvador (BA) e ingressou na carreira musical com apenas 12 anos de idade em uma banda de forró chamada Melaço de Cana, onde tocava percussão, posteriormente percebeu o seu talento com a voz. Entusiasmado com os comentários e impulsionado por seu irmão, o também cantor Felipe Pezzoni da Banda Eva, resolveu trocar a percussão pelo microfone. Durante três anos, Battata foi vocalista da Levaê.
    18.05.2014 11h02m
    Recomendar
    Intimidades com o cantor Battata
    Intimidades com o cantor Battata

    Como foi o começo de sua carreira?

    Minha família sempre foi musical e desde os 12 anos iniciei tocando percussão e depois tomei gosto pelo canto, foi uma coisa que aconteceu muito natural. Quando vi estava em cima dos palcos e agora estou com esse projeto pessoal trabalhando meu nome.

    Qual o seu signo e vc se identifica com ele?

    Sagitário, eu gosto muito das pessoas que são do mesmo signo e me identifico sim.

    Me fale um pouco sobre a sua infância?

    Como eu era feliz quando criança! curtia muito, brincava de gude, a raia, andava de bicicleta, subia em árvore. Diferente das brincadeiras das crianças de hoje em dia que ficam mais na frente do computador. esta época foi mágica.

    Você tem alguma mania?

    Que eu lembro nenhuma. Sou um pouco exigênte com o trabalho, mas não considero uma mania.

    O coração de Battata já têm dona?

    Eu estava namorando a pouco tempo, mas hoje estou solteiro e feliz

    Como você encara as comparações com o seu irmão Felipe Pezzoni?

    De uma maneira muito tranquila, fico feliz porque crescemos juntos e aprendemos juntos a arte da música, é natural que tenhamos algumas semelhanças que pra mim é uma honra

    Já se apaixonou por alguma fã?

    Ainda não, mas pode ser que aconteça



  • Intimidades com Robyssão

    Nesta quinzena o quadro intimidades com Lusitania Mel trás toda a irreverência do cantor de pago-funk da Bahia - Robyssão. Pura ostentação, neste papo ele revela ser um personagem e apesar de todo o seu estilo, diz ser uma pessoa comum de hábitos simples.
    02.05.2014 15h15m
    Recomendar
    Intimidades com Robyssão
    Intimidades com Robyssão

    Por que Champanhe não foi feito pra beber?
    Já fiz algumas festinhas e as meninas preferiam beber whisky e o champanhe elas tomavam banho na banheira ou na piscina observando, pensei em fazer uma música.
     
    E o nome Robyssão veio da onde?
    Apelido de infância, eu tinha um amigo com o mesmo nome pra não confundir ficou Robsinho e eu, Robsão daí em diante adotei este nome.
     
    No seu dia-dia o que você gosta de fazer, além de cantar?
    Gosto de ler, ficar na internet, joga boliche, ficar no whatsaap o dia todo, ficar com meu filho. Além das reuniões com o grupo para trocar algumas idéias consertar alguns erros...
     
    Seguindo a curiosidade de umas fãs Lusitania Mel pergunta:
    Você realiza o desejo de todas as mulheres?
    Pelo meu estilo, todos  pensam que eu sou um boêmio, namorador que gosta de farra. Eu sou um personagem e Robson é uma pessoa tranqüila, um cara bacana que teve uma infância bem família. As pessoas imaginam que eu faço o personagem virá realidade na minha vida e na verdade não é assim.
     
    Pago-funk é coisa de baiano?
    Na verdade a Bahia e o Rio têm algo em comum: povo hospitaleiro,  gostam de música. Em minhas viagens ao Rio eu sempre notei esse gosto e resolvi juntar esses dois estilos.
     
    Qual o presente mais ‘caliente’ de fã que mais te surpreendeu?
    Um absorvente (risos)
     
    Você guarda os presentes que ganha?
    Todos.
     
    Qual a parte do corpo que você mais gosta?
    A Barriga (risos)
     
    O que você acha do público Gay que curte suas músicas?
    Eles são divertidos e quando os shows duram um pouco mais sempre fazemos umas brincadeiras no palco, eles participam.
     
    Você é casado?
    Não, tenho três filhos. Eu namorei, tive meus filhos e é um presente de Deus, um filho alegra seu dia.
     
    Quando foi a sua primeira vez?
    Na cama, eu já estava velho com 16 anos e nos palcos foi na escola tinha uns 13 anos.
     
    Qual seu ponto fraco na hora...?
    Uma massagem.
     
     
    O que você escuta para compor suas músicas e montar seu repertório?
    Bezerra da Silva, Mr. Catra, muito regge Alfa Blond,  Edson Gomes, musicas antigas como Timbalada do amigo Xexeu, Pierre Eunazes.
     
    A quem você deve tanto sucesso, e as pessoas te seguirem tanto e disseminar isso pro mundo.
    Primeiramente ao hip-hop. Eu cheguei de Miami recentemente e os Americanos ostentam muito, vejo isso nos clipes e depois o Funk ostentação de São Paulo/Rio.



  • 1
Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia