PMFS Qualifica
Em cima da hora:
Projeto contra corrupção do MPF já coletou mais 31 mil assinaturas na PB
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Papo divertido com Kiko e Jeanne

    O Intimidades desta quinzena traz uma dupla linda de cara e corações, os irmãos Jeanne e Kiko já fizeram sucesso em bandas como Mastruz com Leite, Pimenta Nativa, Colher de Pau (ele) e Banda Limão com Mel (ela). Fazendo jus a prêmios de reconhecimento como Troféu Dodô e Osmar 2004 como cantor revelação do Carnaval de Salvador e melhor cantora de forro em 2008, respectivamente. Confira o papo descontraído que rolou com eles.


    Papo divertido com Kiko e Jeanne
    Jeanne, Mel e Kiko
    Papo divertido com Kiko e Jeanne

    Lusitania Mel - Como foi a infância de vocês?

    Jeanne – Foi maravilhosa, com meus irmãos, muita felicidade, o carinho da minha família. Mas a gente também, tocava a campainha do vizinho e corria, roubava fruta do sítio dos vizinhos.
    Kiko – Tivemos uma educação interiorana, com o convívio com nossos avós tivemos muitas influências. Brincamos de pião, pipa, brinquedo artesanal, [ e riem muito ao contar:] de Tanderket, pulava de um árvore para outra, um dia caí ralei a cara toda e quebrei o braço.

    Vocês tem alguma mania?


    J – Eu é de me olhar no espelho.
    K – Escrever as últimas palavras de algumas frases que eu penso, ou do que tenho que fazer. Algo meio maluco, mas é verdade.

    Você tem alguma superstição?


    K – Não passo debaixo de escada, marcar coisas para dia ímpar, passar em cemitério depois da meia noite.
    J – Sigo a minha intuição, não tenho superstição.

     

    Qual sua religião?


    Eu acredito em Deus, na coisa espiritual, da energia.
    Jeanne – Deus é tudo na minha vida, religião é criação do homem.

    Se vocês não fossem cantores, o que seriam?


    J – Advogada e gostaria também de defender causas sociais.
    K – Designer, publicitário.

     Qual o lugar mais inusitado que já fez amor?


    [há uma reação engraçada entre eles, mas responde]
    K – No carro.
    J – Na praia.

    O que acham do público gay que curte o trabalho de vocês?


    K – Sou um cara “a - preconceito”. Todo mundo é igual, cada um faz suas escolhas. É um público massa! Tem uns que seguem a Jeanne e a chamam de diva, e coisas assim.
    J – Tenho vários amigos, eles são muito alegres e botam a gente pra cima.

    Se fosse presidente da República o que mudariam?


    J – Educação. um país com educação, tem tudo.
    K – Para um cargo com esse peso, tem que ser um ser humano de verdade, esquecer as vaidades e pensar no próximo, na cidadania.


    No Blog Intimidades você confere o vídeo desta animada entrevista na integra. Acesse www.intimidades.jornalfolhadoestado.com e se divirta assistindo.



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia