PMFS Natal 2
Em cima da hora:
Projeto contra corrupção do MPF já coletou mais 31 mil assinaturas na PB
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Ator Adriano Lima e suas multifacetas

    O entrevistado do Intimidades deste domingo, é Adriano Lima, um ator incrível com uma bagagem enorme de personagens de muito sucesso. Sua estréia foi em 1993 com a peça A Revolta dos Brinquedos de Fernando Barreto (in memorian) no Festival de Teatro do Nordeste, com atores de todo Brasil. Depois com Fernando Marinho diretor de espetáculos como: A Bofetada, Noviças Rebeldes, Um Velório Muito Estranho e Graxeira, graças a Deus! Espetáculo este, que viajou pelo Brasil e também apresentações no exterior. Atualmente, Adriano está em cartaz com seu trabalho Individual, o monólogo – Hoje eu não to Boa com Wanda Celeste.
    22.07.2014 05h00m
    Recomendar
    Ator Adriano Lima e suas multifacetas
    Ator Adriano Lima e suas multifacetas

    Lusitania Mel - Quando você se descobriu artista? A família apoiou?
    Adriano Lima - De teatro, só eu (risos). Na minha família tem promotor, dentista, advogado, médico, administrador e artista, só eu. Quando eu comecei, a família ‘torceu o bico’ só a minha avó que apoiou o restante da família ficou preocupada, porque a profissão não dá dinheiro, porque a vida é difícil, mas toda profissão é difícil. Eu tive sorte porque o ‘Graxeira’ foi um sucesso de público com turnê no sul, sudeste e até fora do país, com isso eles ficaram mais tranqüilos.

    Qual seu signo? Você se identifica com ele?
    Cancer, eu identifico. Timidez fora do palco, paternalista, gosto de ficar em casa. Ao contrário da vida artística que gosta de badalação.

     Como foi a sua infância?

     Minha infância foi bacana, eu morei em Salvador quando se podia brincar na rua, eu sou cheio de cicatrizes. A minha avó morava aqui em Feira de Santana, vínhamos eu, minha irmã, meu irmão e mais três primos pra cá, os seis deixavam a minha avó louca, mas ela adorava. Nós esperávamos as férias e íamos à igreja, pongava em caminhão, aprontava...

    Adriano você tem hábitos de uma pessoa nobre, conta pra gente.
     Meu pai era fazendeiro - não era milionário - mas morávamos bem, na Graça ali pela Barra. Tivemos uma educação básica de família, freqüentava lugares que minha mãe, minha tia freqüentavam e isso ficou como costume da família, mas quem não gosta de uma perfume bom, uma camisa boa, um Yves Saint Laurent, essas coisinhas básicas (risos), mas gosto por ser de costume e não por ostentação.

    O que te irrita?
    Atraso, transito, vc já me viu dirigindo! Eu me irrito, xingo muito ainda bem que os vidros ficam fechados e fofoca, é uma coisa que me tira do sério, aviso as inimigas de plantão que tentaram, não vão conseguir derrubar... (risos). O máximo que pode acontecer, é eu aparecer mais do que apareço, então paciência!

    Qual a sua religião?
     Ela é meio mista, conheci o evangelho, pois minha avó era da Assembléia de Deus, eu sou adepto do Candomblé, mas eu acho que religião é Deus.

    Você é nobre e quando desce do salto, como é?
     Eu já fui mais esquentado e 20 anos com o Graxeira, viajando o tempo todo vira família e família briga. Tinha umas brigas no camarim que a gente voltava sem se falar. Eu fui o mais agressivo (verbalmente) depois fui aprendendo a engolir alguns sapos, deixar algumas coisas pra lá e hoje estou mais tranqüilo.

    E quando a apresentadora pega a caixinha do Intimidades pra apimentar as perguntas do quadro, chega a Mestre em relacionamento interpessoal com ênfase em casais do mesmo sexo, a Wanda Celeste para uma sessão terapêutica e de conselhos com a nossa apresentadora Lusitania Mel. Muito engraçada esta segunda parte da entrevista e a transcrição da mesma teria muitos ‘kkkkkkks’ (risos), seria complicada a compreensão dos nossos leitores. Então, assista esta entrevista na integra e se divirta com a nossa especialista em relacionamento interpessoal, Wanda Celeste e morra de rir assim como nós aqui da redação.


    Edição: Flora Farias
     



  • Intimidades com a contora mary Antunes

    Lusitania Mel no intimidades desta quinzena, no meio da folia invadiu o camarim de Mary Antunes pra bater um papo descontraído com a cantora. Todo mundo já sabe dos seus projetos, música de trabalho, CD novo e nós do Intimidades queremos saber mais. Confira abaixo na entrevista exclusiva.
    28.06.2014 21h09m
    Recomendar
    Intimidades com a contora mary Antunes
    Intimidades na folia com Mary Antunes

    Lusitania Mel - Qual o seu signo?

    Mary Antunes - Virgem, mas eu me identifico com algumas coisa do meu signo: lealdade, fidelidade, comprometimento; mas tem coisa ai que não encaixa não.

     

    Como foi sua infância?

     Minha infância foi linda, morando numa cidade do interior da Bahia,indo pra casa de praia, final de semana.

     

     O que te irrita?

    Mentira, falsidade não gosto

     

    O que você gosta de comer?

     Parte difícil! Eu gosto de comer. Gosto de massas, frutos do mar e comida japonesa

     

    Se você não fosse cantora, qual seria a sua profissão?

    Enfermeira! Tentei outra área não deu.

     

    O que você gosta de ouvir?

    Michael Jackson, Mariza Monte, gosto também do Bruno Mars e tantos da música baiana.

     

    Já recebeu uma cantada inusitada de algum fã?

    Meio complicado, quando acontece assim eu me finjo de “A LOUCA!” (risos). Uma vez no Maranhão, quando cheguei ao hotel depois do show, estava no quarto falando ao celular quando olho pra janela uma cabecinha e olhando... Gritei, bati no vidro. Sorte que eu estava vestida, se não seria constrangedor (risos).

     

    E você se acha bonita? O que gosta em você?

    Sou satisfeita comigo.

     

    Lugar inusitado que já fez amor?

    Sexo é sempre picante. Bom é fazer com quem ama. Eu nunca encarei em lugares como carro, no mar tenho medo de aparecer polícia, paparazzi. Prefiro em casa, rodo a casa toda!
    (ri envergonhada com os componentes da banda)

     

    Edição: Flora Farias

    ARTE IDEIA Comunicação



  • Papo divertido com Kiko e Jeanne

    O Intimidades desta quinzena traz uma dupla linda de cara e corações, os irmãos Jeanne e Kiko já fizeram sucesso em bandas como Mastruz com Leite, Pimenta Nativa, Colher de Pau (ele) e Banda Limão com Mel (ela). Fazendo jus a prêmios de reconhecimento como Troféu Dodô e Osmar 2004 como cantor revelação do Carnaval de Salvador e melhor cantora de forro em 2008, respectivamente. Confira o papo descontraído que rolou com eles.
    14.06.2014 22h46m
    Recomendar
    Papo divertido com Kiko e Jeanne
    Jeanne, Mel e Kiko
    Papo divertido com Kiko e Jeanne

    Lusitania Mel - Como foi a infância de vocês?

    Jeanne – Foi maravilhosa, com meus irmãos, muita felicidade, o carinho da minha família. Mas a gente também, tocava a campainha do vizinho e corria, roubava fruta do sítio dos vizinhos.
    Kiko – Tivemos uma educação interiorana, com o convívio com nossos avós tivemos muitas influências. Brincamos de pião, pipa, brinquedo artesanal, [ e riem muito ao contar:] de Tanderket, pulava de um árvore para outra, um dia caí ralei a cara toda e quebrei o braço.

    Vocês tem alguma mania?


    J – Eu é de me olhar no espelho.
    K – Escrever as últimas palavras de algumas frases que eu penso, ou do que tenho que fazer. Algo meio maluco, mas é verdade.

    Você tem alguma superstição?


    K – Não passo debaixo de escada, marcar coisas para dia ímpar, passar em cemitério depois da meia noite.
    J – Sigo a minha intuição, não tenho superstição.

     

    Qual sua religião?


    Eu acredito em Deus, na coisa espiritual, da energia.
    Jeanne – Deus é tudo na minha vida, religião é criação do homem.

    Se vocês não fossem cantores, o que seriam?


    J – Advogada e gostaria também de defender causas sociais.
    K – Designer, publicitário.

     Qual o lugar mais inusitado que já fez amor?


    [há uma reação engraçada entre eles, mas responde]
    K – No carro.
    J – Na praia.

    O que acham do público gay que curte o trabalho de vocês?


    K – Sou um cara “a - preconceito”. Todo mundo é igual, cada um faz suas escolhas. É um público massa! Tem uns que seguem a Jeanne e a chamam de diva, e coisas assim.
    J – Tenho vários amigos, eles são muito alegres e botam a gente pra cima.

    Se fosse presidente da República o que mudariam?


    J – Educação. um país com educação, tem tudo.
    K – Para um cargo com esse peso, tem que ser um ser humano de verdade, esquecer as vaidades e pensar no próximo, na cidadania.


    No Blog Intimidades você confere o vídeo desta animada entrevista na integra. Acesse www.intimidades.jornalfolhadoestado.com e se divirta assistindo.



  • Topera, vocalista da Banda 5% revela tudo no Intimidades

    A Banda 5% nasceu da vontade de fazer boa música e de tocarem juntos, esses amigos de longa data, se uniram com esse objetivo em comum, fazer o que mais amam e levar muita alegria para o público. A experiência dos integrantes vem da rotina de tocar em bares, o que proporcionou muita bagagem e ecletismo musical – forte característica da banda. E na coluna intimidades desta quinzena, Topera – o vocalista - é nosso entrevistado. Ele adotou seu apelido de infância para fazer sucesso na Banda 5%.
    31.05.2014 21h42m
    Recomendar
    Topera, vocalista da Banda 5% revela tudo no Intimidades
    Intimidades com Topera, cantor da Banda 5%

    Quando você descobriu que seria músico?
    A música que escolhe a gente, eu venho de uma família musical com meus pais, ouvindo e amadurecendo a idéia.
     
    Quem é seu ídolo na música?
    Meu pai, músico violonista Josmar Assis
     
    Qual a sua relilgião? Você segue?
    Sou católico, mas não freqüento muito.
     
    Como foi a sua infância?
    No Cabula depois mudei pra Villas, mas foi totalmente diferente das infâncias atuais. Sou o caçula de três irmãos.
     
    Se você não fosse músico, que profissão escolheria?
    Seria jogador de futebol.
     
    Você tem algum defeito que gostaria de mudar?
    Sou cabeça dura muitas vezes, me arrependo, peço desculpas quando vejo que estou errado. A banda me ajuda, quando estou errado eles falam, somos muito unidos.
     
    Quando foi a sua primeira vez? Que subiu no palco?(risos com a apresentadora)
    Aos sete anos
     
    E a sua primeira vez?
    [envergonhado ele resiste um pouco e depois de alguns comentários da apresentadora, diz] “vou largar mesmo”
    Foi aos meus 18, 19 anos, num banheiro químico
     
    Qual presente de fã que te deixou mais surpreendido?
    Fotos antigas nossas, nossos CDs antigos as faixas...
     
    Se o mundo acabasse agora,  quem gostaria que estivesse com você?
    Meus pais.
     
    Quais artistas você escuta para compor suas músicas?
    Lupicínio Rodrigues, não para compor axé, mas para músicas românticas. Ouço Moraes Moreira, RoupaNova, Fábio Junior e pra compor música de axé, ouço Saulo.
     
    Como você encara a renovação da música baiana?
    Tudo é fruto de muito trabalho, quem chegou onde está batalhou muito. A renovação vem naturalmente em todos os aspectos, temos Mary do Babado; Chicafé; Eva; Levy, todos com trabalho bacana, eu creio muito na renovação da música baiana.
     
     
    Edição: Flora Farias - Arte Ideia Comunicação.
     



  • Intimidades com o cantor Battata

    O entrevistado desta quinzena o quadro intimidades com Lusitania Mel é o cantor Battata, que é natural de Salvador (BA) e ingressou na carreira musical com apenas 12 anos de idade em uma banda de forró chamada Melaço de Cana, onde tocava percussão, posteriormente percebeu o seu talento com a voz. Entusiasmado com os comentários e impulsionado por seu irmão, o também cantor Felipe Pezzoni da Banda Eva, resolveu trocar a percussão pelo microfone. Durante três anos, Battata foi vocalista da Levaê.
    18.05.2014 11h02m
    Recomendar
    Intimidades com o cantor Battata
    Intimidades com o cantor Battata

    Como foi o começo de sua carreira?

    Minha família sempre foi musical e desde os 12 anos iniciei tocando percussão e depois tomei gosto pelo canto, foi uma coisa que aconteceu muito natural. Quando vi estava em cima dos palcos e agora estou com esse projeto pessoal trabalhando meu nome.

    Qual o seu signo e vc se identifica com ele?

    Sagitário, eu gosto muito das pessoas que são do mesmo signo e me identifico sim.

    Me fale um pouco sobre a sua infância?

    Como eu era feliz quando criança! curtia muito, brincava de gude, a raia, andava de bicicleta, subia em árvore. Diferente das brincadeiras das crianças de hoje em dia que ficam mais na frente do computador. esta época foi mágica.

    Você tem alguma mania?

    Que eu lembro nenhuma. Sou um pouco exigênte com o trabalho, mas não considero uma mania.

    O coração de Battata já têm dona?

    Eu estava namorando a pouco tempo, mas hoje estou solteiro e feliz

    Como você encara as comparações com o seu irmão Felipe Pezzoni?

    De uma maneira muito tranquila, fico feliz porque crescemos juntos e aprendemos juntos a arte da música, é natural que tenhamos algumas semelhanças que pra mim é uma honra

    Já se apaixonou por alguma fã?

    Ainda não, mas pode ser que aconteça



  • Intimidades com Robyssão

    Nesta quinzena o quadro intimidades com Lusitania Mel trás toda a irreverência do cantor de pago-funk da Bahia - Robyssão. Pura ostentação, neste papo ele revela ser um personagem e apesar de todo o seu estilo, diz ser uma pessoa comum de hábitos simples.
    02.05.2014 15h15m
    Recomendar
    Intimidades com Robyssão
    Intimidades com Robyssão

    Por que Champanhe não foi feito pra beber?
    Já fiz algumas festinhas e as meninas preferiam beber whisky e o champanhe elas tomavam banho na banheira ou na piscina observando, pensei em fazer uma música.
     
    E o nome Robyssão veio da onde?
    Apelido de infância, eu tinha um amigo com o mesmo nome pra não confundir ficou Robsinho e eu, Robsão daí em diante adotei este nome.
     
    No seu dia-dia o que você gosta de fazer, além de cantar?
    Gosto de ler, ficar na internet, joga boliche, ficar no whatsaap o dia todo, ficar com meu filho. Além das reuniões com o grupo para trocar algumas idéias consertar alguns erros...
     
    Seguindo a curiosidade de umas fãs Lusitania Mel pergunta:
    Você realiza o desejo de todas as mulheres?
    Pelo meu estilo, todos  pensam que eu sou um boêmio, namorador que gosta de farra. Eu sou um personagem e Robson é uma pessoa tranqüila, um cara bacana que teve uma infância bem família. As pessoas imaginam que eu faço o personagem virá realidade na minha vida e na verdade não é assim.
     
    Pago-funk é coisa de baiano?
    Na verdade a Bahia e o Rio têm algo em comum: povo hospitaleiro,  gostam de música. Em minhas viagens ao Rio eu sempre notei esse gosto e resolvi juntar esses dois estilos.
     
    Qual o presente mais ‘caliente’ de fã que mais te surpreendeu?
    Um absorvente (risos)
     
    Você guarda os presentes que ganha?
    Todos.
     
    Qual a parte do corpo que você mais gosta?
    A Barriga (risos)
     
    O que você acha do público Gay que curte suas músicas?
    Eles são divertidos e quando os shows duram um pouco mais sempre fazemos umas brincadeiras no palco, eles participam.
     
    Você é casado?
    Não, tenho três filhos. Eu namorei, tive meus filhos e é um presente de Deus, um filho alegra seu dia.
     
    Quando foi a sua primeira vez?
    Na cama, eu já estava velho com 16 anos e nos palcos foi na escola tinha uns 13 anos.
     
    Qual seu ponto fraco na hora...?
    Uma massagem.
     
     
    O que você escuta para compor suas músicas e montar seu repertório?
    Bezerra da Silva, Mr. Catra, muito regge Alfa Blond,  Edson Gomes, musicas antigas como Timbalada do amigo Xexeu, Pierre Eunazes.
     
    A quem você deve tanto sucesso, e as pessoas te seguirem tanto e disseminar isso pro mundo.
    Primeiramente ao hip-hop. Eu cheguei de Miami recentemente e os Americanos ostentam muito, vejo isso nos clipes e depois o Funk ostentação de São Paulo/Rio.



  • Intimidades com o atleta Júpiter Filho

    Com 1,80m de pura elegância trabalhada na musculação e muito jiu jitsu, o atleta Júpiter Filho é o entrevistado da coluna INTIMIDADES com Lusitania MEl desta semana. Com emoções e muitas revelações, o atleta conta um pouco da sua vida pessoal, profissional e familiar. Júpiter Filho é graduado em Educação Física, pós-graduando em Reabilitação Cardíaca pela Faculdade Gama Filho do Rio de Janeiro, professor de Jiu Jitsu e atleta profissional do Esporte Clube Bahia, representando a equipe Corpo e Mente, onde conseguiu entre 2013 a março de 2014, 15 medalhas (incluindo -Vice campeão pan-americano faixa roxa absoluto - 2013).
    26.03.2014 12h28m
    Recomendar
    Intimidades com o atleta Júpiter Filho
    Intimidades Júpiter Filho

    Como é está no Pan Americano e ganhar?

     É você sentir um sonho se tornando realidade, uma sensação de dever cumprido!!! 
     
     Mais como começou sua vida de atleta?

    Comecei competindo em outras modalidades esportivas quando servia ao Exército brasileiro e no Jiu-jitsu há cinco anos por ser um desafio diferente 
     
    Teve algum momento que você quis parar de ser atleta?

    Não! Porque nunca criei expectativas a respeito de patrocínios ou metas que eu não pudesse atingir!!! A maioria dos atletas se frustram e pensam em desistir quando sentem que não tem nenhum apoio financeiro para continuar em sequência de treinos, alimentação, suplementação...
     
     ... e como foi formar uma família, já que tinha competições, viagens e dedicação, falta tempo?

     Ainda estou na formação dela!!! A família é à base de tudo, sem ela me sentiria fraco!!! A minha família e os meus amigos são meus maiores incentivadores nessa vida de competições!!!  
     
     E o assédio das meninas sobre o atleta? E hoje, elas se comportam mesmo?

    O assédio existe... porém devemos saber lidar com isso!!! Cada atleta deve ter uma postura de acordo com seu estado civil e lembrar que devemos ser exemplo.
     
     
    Você era brigão?

     Como toda criança em período escolar... rsss 
     
    E guloso?

    Não, nunca fui de exagerar. (sorriu Júpiter)
     
    Por que no caso do cantor Netinho, ele se deu mal?

    Muito complicado identificar um fator só... existem várias especulações a respeito desse assunto na mídia, pode ter sido uma má orientação, imprudência de quem busca um resultado rápido... Mas prefiro não identificar um desses fatores.
     
    Como você lida com as derrotas?

    O problema da derrota é a expectativa das pessoas. Não se deixe levar pelo que os outros acham de você e sim procure saber onde errou e corrija a falha, use a derrota como impulso para de levar mais longe ainda!!! 
     
    Falar sobre treino e suplementação. Você toma suplementos proibidos?

    Sou acompanhado por um profissional especialista em NUTRIÇÃO ESPORTIVA pelo Dr. Felipe Pamponet (que também é praticante de jiu-jitsu) 
     
     
    O atleta se prepara para diversas competições como: as 12 etapas do campeonato baiano (cada etapa será realizada em uma cidade da Bahia), Campeonato brasileiro - RJ (Abril), Campeonato mundial – SP (SP), o Rio Open –RJ (Agosto), o Panamericano – AM (Agosto), além da maior maratona de todas curtir a micareta de Feira de Santana, no Bloco Lá Vem Elas (onde sorriu bastante ao falar). 



  • Intimidades com Xandy Aviões

    Na coluna Intimidades desta quinzena o entrevistado é o cantor José Alexandre Filho (conhecido como Xandy do Avião), nasceu no ano de 1982 em Itaú - RN. Depois se mudou para Apodi - RN e posteriormente para Exu - PE. Xandinho começou sua carreira como vocalista no Estilo Musical (de Apodi - RN). Foi em 2002, que ele recebeu o convite para cantar junto com Solange Almeida na nova banda, Aviões do Forró Alexandre é casado, tem 4 filhos e reside atualmente em Fortaleza - CE.
    24.02.2014 10h49m
    Recomendar
    Intimidades com Xandy Aviões
    Intimidades com Xandy Aviões
    Quando foi a sua primeira fez que você subiu no palco?

    Eu tinha 14 anos na minha cidade no interior do Rio Grande do Norte, o cantor faltou e eu tive que cantar no lugar dele e dei um jeito lá

    Qual o artista que te inspirou?

    Eu ouvia muito Luis Gonzaga, mas quando eu começei a cantar quem estva estourado era Limão com Mel, Magníficos e eu gostava muito do jeito que eles contavam. Mas minha inspiração foi Luis Gonzaga

    O que mais te irrita?

    Falsidade

    Uma palavra?

    Amor

    Qual o seu signo?

    Áries

    Se você fosse presidente do país o que vc faria?

    Pediria para sair, rsrsrs

    Uma música que você gostaria de ouvir por muito tempo?

    Tô Sozinho do Aviões

    Uma pessoa que você admira muito?

    Meu pai

    Uma recordação de infância?

    Uma infância pobre, mas muito feliz

    Uma mensagem para aqueles que te admiram e querem seguir o seu caminho?

    Quando você tem uma vontade de alguma coisa, já e meio caminho e nunca desista quando alguém dizer que não é possível tente até conseguir.


  • Intimidades com o cantor Rubinho

    Em passagem por Feira de Santana, Rubinho, vocalista da MSB – Melhor Suingueira do Brasil –, aproveitou para participar do programa "Intimidades com Lusitania Mel na TV Geral". Feliz e bastante empolgado, ele contou tudo sobre sua vida íntima e profissional, inclusive como foi a sua primeira vez.
    18.02.2014 18h03m
    Recomendar
    Intimidades com o cantor Rubinho
    Intimidades com Rubinho
    Qual é o seu signo, você se identifica com ele?
     
    Rubinho: Áries. Eu sou um "cara" que tem uma personalidade muito forte, porém, não sou de guardar rancor. Posso dizer que tenho uma personalidade muito ariana e que sou muito feliz.
     
    Quem você tem como sua principal inspiração ou ídolo?
     
    Por incrível que pareça, eu cresci cantando músicas sertanejas. Canto desde meus 7 anos, e sempre tive como inspiração  os cantores Leandro e Leonardo, Chitãozinho e Chororó.Quando completei 17 anos, comecei a cantar pagodão. Eu sempre gostei muito de cantar e dançar, talvez este seja o meu grande diferencial, gosto muito do Xandy,do Harmonia, curto também o Titãs e ouço bastante forró, como o pessoal da Gatinha Manhosa, Limão com Mel e Calcinha Preta. Sou muito eclético e todos os que eu admiro na música eu tenho como ídolos. 
     
    Como anda o coração. Você é casado, tem filhos?
     
    Já tenho dez anos de casado, casei muito cedo e hoje temos dois filhos, um de três anos e outro de seis. Sou um cara feliz e muito bem relacionado.
     
    Você tem alguma recordação de infância que tenha te marcado? 
     
    Traquinagens (risos). Sempre fui muito apaixonado por música e tenho como recordação tocar na banda do meu pai.
     
    Você nasceu em berço de ouro?
     
    Minha mãe era professora e meu pai já tinha uma banda. Nunca passei dificuldades, porém, sempre fui em busca do que é meu. Meus pais se separaram quando eu tinha apenas oito anos. Vendo a luta da minha mãe em manter eu e meus irmãos em bons colégios e nos dando uma vida confortável, procurei trabalhar cedo e ajudar nas contas de casa.
     
    Quando foi a sua primeira vez?
     
    (Risos) A idade eu não lembro, só sei que foi com uma prima.
     
    Completando a pergunta, quando você subiu pela primeira vez no palco como cantor?
     
    (Risos)  Eu tinha sete anos, meu pai tinha uma banda de baile. Eu subi no palco de forma profissional, já tinha o meu repertório. Foi um momento que marcou muito a minha vida.


  • Intimidades com a dupla Jean e Rafael

    No quadro Intimidades desta quinzena Lusitania Mel entrevista a Dupla Sertaneja oriunda de Itumbiara-GO Jean e Rafael. A dupla esteve na Bahia realizando shows em Feira de Santana e Salvador e visitou a sede do Grupo do Folha do Estado. Confira:
    14.02.2014 18h44m
    Recomendar
    Intimidades com a dupla Jean e Rafael
    Intimidades com a dupla Jean e Rafael
    Rafael quem te inspirou na música?

    Buscamos várias inspirações de músicos sertanejos como Chitãozinho e Xororó, João Carreiro e Pardinho, além de inspirações de outro gênero para fazer uma composição como Roupa Nova, Renato Russo

    Jean você tem o mesmo gosto do Rafael?

    Parecido, mas curto mais um Leonardo e José Rico, Bruno e Marrone e a galera nova como nosso Conterrâneo Jorge e Matheus

    Como está o coração da Dupla?

    Rafael: Está apaixonado né rsrsrsr. Tenho uma namorada
    Jean: Estou casado com minha esposa Lays Tudo de bom

    Qual o signo de vocês e se identifica com eles?

    Rafael: Peixes, eu não entro muito nos detalhes dos signos
    Jean: Leão, eu também não acompanho muito, mas o pouco que sei acho que combina comigo um cara Fiel, Firme

    O que vocês não conseguem sair de casa sem?

    Jean: Acho que não consigo sair brigado, temos o momento de stress em casa mas temos que sair sempre bem
    Rafael: No último momento que estou meio gordinho, acho que tá difícil de sair sem andar de carro.

    Vocês colecionam ou já colecionaram algo?

    Rafael: Não, nunca fiz coleção não
    Jean: Estou tentando colecionar notas de 100 (rsrsr), mas não consigo


    O que mas irrita vocês?

    Jean: A falta de decisão, de pessoas que ficam em cima do muro
    Rafael: Eu já não gosto muito de confusão e briga

    Vocês vivem exclusivamente da música?

    Rafael: Eu sou professor de música e matemática
    Jean: Eu trabalho numa concessionária em Itumbiara

    Quando foi a primeira vez que vocês subiram no palco?

    Rafael: Foi com 18 anos, quando uma menina me viu cantando e me chamou para fazer uma serenata para um patrão dela e me contratou
    Jean: Eu começei a cantar desde novo, minha família é muito ligado a música e eu sempre estava envolvido e na verdade nem lembro quando foi a primeira vez.

    Agradecemos a visita da dupla e desejamos sucesso na carreira de vocês. Esperamos que voltem em nossa cidade. Obrigado
     
     
    Confira a entrevista na integra em vídeo no site www.tvgeral.com.br 


  • Intimidades com Flavinho

    O quadro intimidades entrevista o cantor de pagode Flavinho, vocalista do grupo Os Barões, que tem sua dança como característica marcante . O cantor é famosos por diversos hits com “As Gordinhas”, composição que eleva e valoriza à auto estima das mulheres que possuem aqueles famosos quilinhos a mais. Confira a entrevista de Lusitânia Mel
    04.02.2014 18h56m
    Recomendar
    Intimidades com Flavinho
    Intimidades com Flavinho

    Pra começar qual é o seu signo?

    Sou Libriano de 09 de outubro, os  caras mais tranquilos

     Mas no palco você nos passa muita alegria e agitação

    É a energia que a galera passa pra gente no palco, que nos motiva

    Quem te inspirou na música?

     Minha família, meu pai, meus tios. A gente tem um samba de família e eu sempre participava e nos intervalos sempre pegava os instrumentos para aprender

    Como você começou sua carreira?

    Flavinho: Eu comecei como holding, meu primo tocava bateria com Márcia Freire, e eu sempre o acompanhava e peguei gosto.

    E o artista que te inspirou?

    Primeiramente Beto Jamaica, Reinaldo do Terra Samba, Xandy e outros da área que sempre assistia na TV e tinha vontate de um dia também fazer parte disso

    Como você se definiria?

    Um cara tranquilo,um bom amigo, um bom pai e sempre procurando fazer o bem

    Qual o seu time do coração?

    O Bahia

    Você coleciona alguma coisa?

    Sim, as cartas e presentes das fãs

    Qual o brinquedo que mais gostava na infância?

    Era um sonho ter uma bicicleta e foi com dificuldade que consegui realizar esse desejo na
    infância e que marcou

    Confira a entrevista na integra em video no site www.tvgeral.com.br 



  • Intimidades com Luciana Alves

    Na coluna Intimidades de hoje a entrevistada é a cantora Luciana Alves que já integrou a banda Corisco do Trovão, Raio da Silibrina e Calypso do Pará dentre outras e hoje segue carreira solo.
    03.02.2014 19h35m
    Recomendar
    Intimidades com Luciana Alves
    Intimidades com Luciana Alves

    Quando despertou  seu interesse pela carreira artística?

    Com 10 anos de idade, comecei  a cantar com meu pai acompanhando ele em shows, profissionalmente eu tenho 18 anos de carreira.

    Quais artistas te inspiraram?

    Minha diva e a saudosa Elis Regina e cantor George Benson que sou apaixonada e é uma referência maravilhosa.

    Hoje você canta o estilo sertanejo, este gênero é realmente o que você gosta de fazer?

    Sim, porque desde criança com meu pai, que era músico, sempre escutei grandes nomes da música sertaneja como Tonico e Tinoco, João Mineiro e Marciano e Sérgio Reis, mas sempre escutei outros estilos também porque sou bem eclética e já fiz de tudo. Hoje o sertanejo me toca e é o que quero fazer quando estou no palco.

    Qual foi a primeira fez que você subiu ao palco?

    Profissionalmente com 11 anos em Salvador e foi um momento emocionante com meu pai.

    Você faz um grande sucesso na web, o que você credita?

    Eu acredito que é a intimidade que eu tenho com o internauta, eu tendo dar o máximo de atenção, respondendo mensagens e devido as bandas que trabalhei consegui um grande fã clube. Eu acho que é por isso

    Como está o coração de Luciana Alves?

    Está batendo cada vez mais forte, porque o meu Love trabalha comigo é meu diretor, meu maestro e tá sempre me acompanhando. Ele é maravilhoso  tanto como marido e como músico.

    Qual o seu signo?

    É o signo mais meloso, mais ciumento que existe. Sou canceriana

    Como você se definiria?

    Uma mulher amiga, criança, sapeca, boa mãe, boa filha, boa esposa. Amo meu público e que ama o
    que faz.

    Qual sua religião?

    Eu não tenho uma religião específica, eu acredito muito no Kardecismo. Mas já frequentei igreja católica, evangélica e aprecio a religião Afro. Não tenho preconceito com religião nenhuma.

    Inclusive você já vez uma homenagem a Iemanjá?

    Quando eu falei em fazer essa homenagem, as pessoas se assustaram e me perguntaram se eu era do Candomblé, porque esse espanto eu não preciso ser da religião para fazer essa homenagem. Acho bonito a história, leio sobre os Orixás esei que muita gente tinha vontade de fazer  e eu me sentir realizada.

    O que a Luciana não sai de casa sem?

    Eu não saiu sem minha oração

    O que você coleciona?

    Sapatos e Bijuterias

    Um pessoa que você admira muito?

    Minha mãe que é uma guerreira
     
    Confira a entrevista na integra em vídeo no site www.tvgeral.com.br 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia